.

.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

SYSTEM SHOCK ASCENDANCE

Se você não esteve trancado no porão da sua casa nos últimos cinco anos, provavelmente deve, ao menos, ter ouvido falar de Ken Levine, a mente criativa por trás do sucesso de Bioshock e Bioshock 2. Mas, muito antes de suas desventuras com Big Dads e Little Sisters, Levine nos presenteou com um mundo futurista carregado de altas doses de ficção científica e referências cyber punk. Claro que estou falando de System Shock, desenvolvido pela Looking Glass Technologies e publicado pela Origin Systems no ano de 1994. Sua continuação, System Shock 2, foi lançado em 1999 pela Looking Glass Technologies, tendo seu desenvolvimento ficado a cargo da Irrational Games.


Infelizmente, isso é tudo que sei sobre a série, depois de uma rápida visita ao Google. Não tive a oportunidade de jogar nenhum dos dois games. Pra ser ainda mais sincero, só fiquei sabendo de sua existência devido ao barulho causado pelo primeiro Bioshock, o indiscutível sucessor espiritual de System Shock.
Bioshock possui algumas similaridades bem evidentes, se comparado ao System Shock, como o aprimoramento genético (seja por meio tecnológicos ou pela genética), hackeamento de máquinas e toda a ambientação e atmosfera de claustrofobia presente nas duas séries. E, pela qualidade presente nesse jogo, sempre fiquei muito curioso em conhecer o mundo dominado pela entidade tecnológica conhecida por Shodan.

Rumores apontam para System Shock 3: Ascendance, uma suposta continuação do segundo jogo que estaria em desenvolvimento. Tem até um trailer fictício sobre o título.



 O problema é que Ascendance seria um filme, e não um jogo, e dirigido por James Cameron. Estranho, no mínimo. Uma história nascida em um meio de entretenimento que migra para outro completamente diferente para contar a terceira parte de sua saga. Difícil de acreditar. Pra ser sincero, nem sei direito do que se trata System Shock 3: Ascendance. Não sei até vão os rumores, ou se eles apontam para um real projeto de desenvolvimento de uma concreta continuação do jogo. Mas a ideia não deixa de ser bastante convidativa. Para mim, serviria como uma espécie de redenção pela falta cometida em não ter aproveitado os jogos na época “correta”. Se estiver sendo feito, System Shock 3 promete fazer tanto estardalhaço quanto seu irmão mais novo, Bioshock Infinite. E, com certeza, seria mais um candidato a jogo do ano em 2012. Só nos resta esperar com os dedos cruzados.

Au Revoir!

14 comentários:

  1. Uma palavra? Fake. Duas palavras? Infelizmente, fake.

    ResponderExcluir
  2. acho que se lança-sem um System shock 3,ele seria totalmente desbancado pelo sucesso de seus concorrentes principalmente o bioshock,portanto,acho dificil lançarem uma continuação,pelo menos para esse ano.

    ResponderExcluir
  3. Também não joguei System Shock e isso é uma frustração pra mim. Já BioShock é um dos meus jogos favoritos de todos os tempos. Acho que você gostaria dele, Shadow. =)

    ResponderExcluir
  4. Aquino, que pena que, logo depois de escrever o post, acabei confirmando também que era fake. uma pena, realmente. SS3 seria um belo adendo aos ótimos lançamentos que sairão em 2012. Levine, fica a ideia no ar...

    ResponderExcluir
  5. não seria não, Los gamers. se fosse assim, fallout seria desbancado por elder scrolls, seguindo esse raciocínio. ficção cyber punk nunca sai de moda e, sendo um jogo de Ken Levine, eu compraria de olhos vendados.

    ResponderExcluir
  6. KKKKKKK. como assim, Rebeca? bioshock é um dos melhores jogos dessa geração. terminei o primeiro em TODOS os níveis de dificuldade; li todos os arquivos de áudio; acompanhei a trama atentamente; ele foi o primeiro jogo de PS3 que eu platinei. Bioshock 2 eu também platinei, e jogo o multiplayer online todos os dias, nem que seja uma partida. até fiz um post sobre o multiplayer aqui no blog.
    aguardo ansiosamente pelo Infinite...

    ResponderExcluir
  7. Nossa, me confundi toda. Quando você falou no post "não joguei nenhum dos dois", achei que estava se referindo a System Shock 2 e BioShock, não aos dois System Shocks. E esqueci totalmente do post do BioShock 2 (que cheguei a ler, sim). Não repara, estou meio lesada hoje! hahaha

    Eu amo BioShock e também estou super ansiosa pelo Infinite. Não sei se você chegou a ver, então vou te passar esse link: http://bit.ly/xedONi

    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Rebeca, que inveja! Você conseguiu falar com o Big Dad em pessoa. rsrsrs. quer dizer, quase...
      a entrevista eu vou ler a noite, agora não dá tempo. eu também estou super ansioso pelo Infinite, até mais que pelo Re6 (por incrível que pareça).

      Excluir
  8. Está ai um jogo que ouvi falar muito, peguei o 2 para jogar por um preço bem baixo, R$40,00 na época no Walmart, fui jogando, joguei umas 6 horas e cheguei a um veredicto, achei o jogo um saco, aquelas menininhas, e achei repetitivo, porém a customização de habilidades e armas foi uma jogada muito boa, outra coisa que não gosto são dos gráficos, a maioria dos gráficos da equipe 2K, tanto Marine quanto as outras não me agradam mesmo, RAGE (tremenda decepção, se o jogo fosse de qualidade quando veio, mas só trouxe enormes problemas de gravação e oturos) e outros, único que achei legal mas em grupo jogando foi o Bordelands da qual vem um novo por ai.

    RES6 e Operation Rancoon City eu espero ansiosamente, menos o ORC, este quero mais é ver o multi dele.

    ResponderExcluir
  9. Clangedin, provavelmente você não gostou de Bioshock porque jogou no "modo turista", aquele tipo de jogatina em que nós passamos batido pelos elementos do jogo, sem tentar se inserir na história e entender a filosofia por trás dos conceitos que o autor propõe. Você leu os arquivos de áudio? prestou atenção nos conceitos morais discutidos no game? cara, matar uma criança de 6 anos por pura vantagem pessoal é algo bem pesado. e se ela não for mais uma criança (apenas na aparência)? isso torna o seu ato menos vil?
    a jogabilidade desse jogo peca em alguns aspectos, mas acho impossível gostar de FPS e não se sentir minimamente interessado por Bioshock. Acho que você devia dar uma segunda chance ao jogo. se gráficos contam tanto pra você, comece pelo 2, que é sensivelmente mais bonito. fica a dica. abraços.

    ResponderExcluir
  10. Joguei no modo "turista" na época estava mais focado em outro game, não me lembro qual, no começo li os arquivos de áudio e tudo, mas chegou em um ponto que parei ele e depois nunca mais retornei a jogar, logo que começou a ficar velho eu troquei. A qualidade de gráficos realmente são em conta para mim, o que não gosto da 2k é o estilo dos gráficos, meio cellshader (acho que é isso). O Infinit eu jogarei para ver como é.
    O que gostei são os Big Daddy, era legal ser temido por todos e principalmente, jogar com o "vilão" do um, é uma perspectiva diferente, isso me chamou atenção, e outr do jogo foi a dificuldade, ele é realmente desafiador. Sem mais, té!!

    ResponderExcluir
  11. realmente, os gráficos da 2k são meio cell shading mesmo. pra quem prefere mais realismo é m problema. o bio 1 eu joguei (e sofri) em todos os modos de dificuldade, e sem usar vita chambers (tipo check point). o infinite, apesar de ser anos-luz mais bonito até mesmo que o 2, ainda terá um visual meio cartunesco, mas, como o bio, será um grande game. nota: uma coisa que dificulta acompanhar a história de bioshock 1 e 2 são as legendas, muuuuuuuuuuuuuuuuito pequenas.

    ResponderExcluir
  12. Acho que o system shock 3 não vai ser lançado pelo mesmo motivo que o HL2 ep 3: Exige paciência e acaba não vendendo. Lembre-se que estamos em 2014 e a massiva maioria dos "Gamers" são aborrecentes de 15, 20 anos. A nossa geração acima dos 30 anos que gosta acima de tudo de um bom jogo com uma boa história, e sabe que isso nem sempre significa excelentes gráficos e efeitos especiais, não liga se foi feito com uma engine X ou Y, ao contrário da mulecada de hoje que se acham os "mestres dos games" e já julgam um título sem nem antes ter perdido 2h jogando, pq o gráfico não agradou e achou chato o personagem não ser um Wolverine que recupera sua energia só ficando num cantinho escondido, só esperando se recuperar pra meter bala em tudo que se move.
    Infelizmente é esse público que compra, é nesse público que as empresas focam, pq é nesse publico que eles ganham dinheiro.

    Ps.: Será que é só eu que to de saco cheio de tanto jogo de zumbi ??

    ResponderExcluir
  13. Me contento com o bioshock infinite, que possui lindos gráficos, ótimo enredo e nada de vida regenerativa (o nível 1999 tem muito desafio pra quem curte mais dificuldade). E não, Daniel, não é só você não. Eu tb não aguento mais ver zumbis em lugar nenhum.

    ResponderExcluir

SE FOR SPAM, DESISTA. NÃO PASSARÁ PELA MODERAÇÃO.
Pra comentar é preciso ser membro do blog. Culpe os spammers, não a mim...

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.