.

.
.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

A HISTÓRIA DA POWER ARMOR





















Eu confesso que peguei gosto por essa coisa de traduzir e legendar vídeos. Se eu tivesse tempo livre com mais frequência, certamente isso viraria rotina aqui no blog. Começou com os curtos vídeos da série S.P.E.C.I.A.L do Fallout. Depois traduzi a conferência da Bethesda na E3 2015, que me deu um trabalho dos diabos mas orgulho na mesma proporção (apesar de que a parte final saiu com mais erros de edição do que eu gostaria de admitir...).

Também traduzi um vídeo que resumia a história da Bethesda até os dias de hoje, e um vídeo que tenta explicar ao espectador a complexa franquia Fallout em apenas cinco minutos.
Cada um desses trabalhos (voluntários) significaram um desafio para mim, que sempre tive um pouco de dificuldade em compreender inglês sem as legendas. Muito embora que eu consiga conversar fluentemente com um estrangeiro (eles geralmente reclamam que eu uso termos muito complicados LOL), músicas e filmes acabavam sendo um problema .

O mais novo desafio enfrentado foi traduzir um vídeo que conta a história da Power Armor, da série Fallout, narrado por um inglês. Quem tenta compreender o que um inglês fala sabe como é quase abismal a diferença entre o idioma falado nos dois continentes. E como eu sofri pra entender o que esse gringo FDP falava em alguns momentos... A sorte é que o próprio vídeo traz algumas legendas pra facilitar a minha vida.


Desisti de ter a minha própria T-45 quando o Amazon transformou uma compra de U$34,00 em U$83,00...


Mas apesar do mimimi, acredito que o produto final tenha ficado satisfatoriamente bom. E eu aprendi muito acerca do lore da franquia enquanto legendava esses vídeos, visto que as centenas de anos da linha do tempo de Fallout (centenas literalmente) podem acabar ficando muito fragmentadas para quem as acompanha in-game. E por "aprendi muito acerca do lore..." entenda-se: ser "obrigado" a assistir A boy and his dog, apenas pra poder me situar melhor nas obras que serviram de inspiração à série (de longe um dos filmes com o filme mais satisfatório a que já assisti, com um twist deliciosamente -perdão do trocadilho- divertido).
Esse aprendizado também incluiu uma revisitada ao clássico de 1983, The Day After (O dia seguinte), uma aterrorizante ficção científica (que com certeza já passou perto de se tornar um documentário involuntário na história da "civilização" humana) a que assisti quando era criança, mas que meu cérebro havia deletado a experiência a fim de evitar traumas futuros.

Também preciso salientar que uma tarde/noite de leitura de TODOS OS POSTS do blog Retina Desgastada com a tag Fallout, bem como das sessões de comentários (dos quais eu participei muito timidamente), me ajudou bastante a compreender melhor a respeito da minha atual franquia preferida de jogos, bem como em construir uma melhor bagagem cultural sobre a série. Todo esse novo conhecimento, além do meu arrastado gameplay dos dois jogos originais, com certeza vai contribuir na busca de uma análise mais abalizada do Fallout 4 (além de me deixar com a incômoda certeza de que meus posts sobre a série teriam sido muito melhores se eu tivesse feito essa pequena lição de casa antes...).

E é com esse sentimento de realização pessoal e de dever cumprido que eu deixo os leitores do blog (e fãs do Fallout) com este que será o último  vídeo da cobertura do Fallout 4, antes de eu me desligar um pouco pra poder aproveitar o game. 
Espero que gostem, e fiquem sabendo que ainda farei um post com alguns pingos nos is antes de me ausentar do blog por um tempinho, pra poder curtir o game (também mereço um descanso...).




Au Revoir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR SPAM, DESISTA. NÃO PASSARÁ PELA MODERAÇÃO.
Pra comentar é preciso ser membro do blog. Culpe os spammers, não a mim...