.

.
.

sábado, 8 de dezembro de 2012

A ÁRDUA TAREFA DE MANTER UM BLOG: SORTE NEGRA

Como todo nerd que se preze, em algum momento da minha vida eu joguei RPGs de mesa. RPGs "de verdade", como Vampiro: A Máscara ou Lobisomen: O Apocalipse, nos quais podemos interpretar um personagem ao invés de apertar botões para escolher entre attack, magic ou Limit Break.

Diferente da maioria das pessoas que vão ficando mais velhas, eu não tenho a mínima vergonha em admitir isso. Muito pelo contrário: Rpgs têm a incrível capacidade de exercitar a imaginação; estimulam a nossa capacidade de tomada de decisões rápidas e ensinam várias e várias lições de convívio em sociedade e companheirismo, mesmo que você seja um La Sombra traiçoeiro que não perde a oportunidade de cravar uma adaga de ossos nas costas de seu melhor amigo só pra sair bem na foto com o líder do seu clã.

Lendo o (ainda excelente) Vampiro: A Máscara, dois defeitos encontrados no final do livro me chamavam bastante atenção:

Meu clã preferido


















Azar Sobrenatural (4 pontos)

As coisas simplesmente não são do seu jeito. Sempre que uma oportunidade de brilhar surge para você, algo acontece para arruiná-la. Uma vez por ciclo, o Narrador pode aumentar a dificuldade de uma rolada de dados crítica em 2 e não te avisar com antecedência. Se você falhar naquela jogada, é culpa de algum elemento randômico de má sorte (seu joelho deu cãibra um milésimo antes de você puxar o gatilho, por exemplo...)”
(Vampiro, a Máscara; Guia do Jogador 3ª ed, pág. 28)

O outro era:

Futuro Negro (5 pontos)

“Você foi amaldiçoado com a Morte Final, ou pior, com o sofrimento de uma agonia eterna. Não importa o que você faça, não conseguirá livrar-se deste destino terrível. Em algum momento durante a crônica, seu Futuro Negro o atingirá. Ainda mais assustador é que você às vezes tem visões de sua sina, e o mal-estar que essas imagens lhe provocam exige que você gaste um ponto de Força de Vontade para apagá-las de sua mente, ou então você perderá um dado de todas as suas ações pelo resto da noite. É a Equipe de Avaliação quem determina a natureza exata da sua sina e os Narradores determinam quando ela ocorrerá. Este é um Defeito difícil de ser representado; ironicamente, embora pareça eliminar todo o livre arbítrio, o conhecimento do momento da morte pode ser libertador.”
(Vampiro, a Máscara; Livro Básico 3ª ed, pág 302)

Aonde quero chegar falando isso? Quero chegar ao fato de que, se eu fosse um personagem de Rpgs, com certeza os dois defeitos acima constariam da minha ficha de personagem, sem direito a borracha na ficha de criação de personagem ou subornar o Mestre da sessão para que fosse dado um jeitinho.


A QUEDA DO GIGANTE NEGRO

Se fosse um console da Microsoft...












Há exatamente uma semana o meu PS3 começou a apresentar um comportamento estranho. Algumas vezes, quando eu colocava um disco de jogo na unidade de leitura, o jogo não começava e aparecia a seguinte mensagem:

“Error occurred during the start operation (80010514)”

Jogos digitais (instalados no Hd) funcionam perfeitamente. DVDs de filme idem. Pesquisei no Google, e as alternativas não eram nada animadoras. Várias pessoas que haviam passado pelo mesmo problema afirmavam que a falha:

a- era um problema de arquivo corrompido no aparelho. Um arquivo de update (de jogo ou de firmware) impedia que o console iniciasse o boot do disco;

b- era um problema do canhão de leitura do console. Nesse caso, mesmo tendo a resolução mais cara, o defeito seria de mais fácil resolução.

Logicamente, pesquisei na internet as possíveis soluções para a alternativa "a" da questão.
Alguns sites diziam que uma restauração dos arquivos de sistema através do console de recuperação do aparelho resolveria o problema (aperta e segura o botão de power com o aparelho em standby. Ele irá ligar e desligar. Aperta e segura novamente até ouvir um bip. Mais dois bips soarão e é hora de soltar o botão. Para restaurar os arquivos, escolhe-se a opção 3).
Dê uma olhadinha no começo do texto, na parte sobre os defeitos de personagem, e tente adivinhar se o problema parou por aí ou continuou.

A terceira e última alternativa...













O segundo procedimento seria uma formatação completa do HD do console. Operação que apagaria TODOS os dados acumulados em três felizes anos de uso do aparelho.
Como eu já havia feito backup de todos os saves antes mesmo de tentar o primeiro procedimento (eterno desconfiado), não hesitei em realizar a operação.
Aqui faço uma nota para um ponto em especial:

POR QUE DIABOS A FORMATAÇÃO “COMPLETA” (as aspas se devem ao fato de vários arquivos e configurações permanecerem no aparelho depois de tal procedimento, como configurações de perfis e conta) DE UM PS3 SLIM COM 120GB DE HD LEVA MAIS DE 10 HORAS PARA TERMINAR?

Mesmo que você não entenda patavinas de computador, em algum momento de sua vida você deve ter formatado o HD de seu computador ou testemunhado alguém realizando tal tarefa.
Mesmo a mais demorada formatação, no maior HD, não deverá passar de uma hora e meia. E olhe que estou dando uma enorme folga no tempo, pois essa operação é bem rápida em computadores mais modernos.

A diferença entre a formatação rápida da completa é que na rápida os clusters do disco rígido apenas são marcados com o status “livre”, mas os dados não são apagados definitivamente. De fato, dá pra recuperar muita coisa que estava em um HD utilizando ferramentas que se utilizam desta artimanha. Ou seja: muito cuidado com as pornografias que você coloca no PC do seu trabalho, pois elas podem te render uma bela “justa causa” se o pc cair em mãos mais competentes.
Já a formatação completa apaga, um por um, os arquivos gravados nos clusters do HD. E essa tarefa é beeeeeeem mais demorada.

Mas isso não é desculpa, pois o PS3 é um aparelho que foi lançado em 2006. Mesmo não utilizando o sistema Windows ou sistemas básicos operacionais como os famosos BIOS, que já vêm integrados nos pcs, UMA MALDITA FORMATAÇÃO DE HD NUNCA, MAS NUNCA, DEVERIA LEVAR DE 10 A 12 HORAS PARA SE COMPLETAR!!!
Desabafo feito, continuando...

Você leu o livro O Código Da Vinci? Se leu, vai se lembrar de uma parte em que a personagem Sophie se espanta pelo fato dos enigmas deixados por seu tio sempre serem constituídos por “enigmas dentro de enigmas”.
Nunca é simples. Nunca é fácil. Sempre tem alguma coisa a mais para dificultar as coisas. Mais ou menos uma versão refinada da piada do Juquinha e a adivinhação do batom.
E é exatamente assim que as coisas funcionam comigo. Será que a formatação completa dos possíveis arquivos que estariam causando o problema resolveu a minha peleja? Mais uma vez, leia o começo do artigo, com ênfase no trecho em negrito do primeiro defeito. Continuando...


UM POR TODOS, VOCÊ POR SI PRÓPRIO E A SONY DO BRASIL POR NINGUÉM











Qual a ideia de usar um console totalmente original, com jogos originais e sem nenhum tipo de alteração? É andar na linha. Fazer as coisas do "jeito certo". Evitar os problemas que a pirataria causa e desfrutar dos benefícios de tal prática, certo?
Partindo dessa ideia, o próximo e mais lógico passo seria contatar a assistência técnica da fabricante do aparelho para que algo fosse feito, não é mesmo?

Bem, depois de pesquisar muito e constatar que NÃO HÁ UMA REPRESENTANTE OFICIAL DA SONY EM UMA DAS MAIORES CAPITAIS DO PAÍS, RECIFE, consegui um número de telefone que me guiaria à unidade de assistência mais próxima da minha região.
Como estou trabalhando durante o horário de atendimento (8:00 as 17:00), coube ao meu irmão a ingrata tarefa de tentar resolver qualquer coisa que seja pelo telefone neste MALDITO PAÍS DOS INFERNOS CUSPIDO POR SATÃ EM SEUS PIORES DIAS DE MAU HUMOR.

Depois de informar que se tratava de um aparelho importado e sem garantia (pois cometemos o sacrilégio de comprá-lo antes de a Sony decidir que os mortos de fome do maldito país dos infernos cuspido por Satã em seus piores dias de mau humor eram dignos do enorme privilégio de ter o console lançado oficialmente no país), a melhor solução que a telefonista pôde oferecer foi a de “procurarmos uma assistência técnica de nossa confiança para que o conserto fosse realizado”, que pode ser traduzido como: “foda-se. Não é problema nosso se você comprou um aparelho NOSSO por meio de importação quando não havia outra alternativa. SE VIRA. E obrigado por escolher um dos produtos da família Playstation! :)”.












Bem, mesmo que o aparelho fosse “nacional” não mudaria muita coisa.
De acordo com uma outra telefonista, o procedimento seria mandarmos o aparelho pelos Correios para que ele fosse encaminhado para uma obscura assistência técnica da Terra do Nunca, onde procedimentos insidiosos e invasivos seriam realizados sem nem mesmo nos darmos conta do que diabos estava acontecendo. Ou seja: se vira! O problema não é nosso.

Mas quer saber de uma? Se o problema foi causado por uma instalação de arquivo que veio a se corromper e comprometer as tarefas de boot de disco (suspeito que foi o lazarento do Dark Souls do meu irmão que começou essa porra toda),  O PROBLEMA É SEU SIM, SENHORA SONY.

ONDE DIABOS UMA EMPRESA ESTÁ COM A CABEÇA PARA PERMITIR QUE UM ARQUIVO DE INSTALAÇÃO DE UM PRODUTO ORIGINAL E LICENCIADO PELA FABRICANTE ACABE COM O HARDWARE DE UM CONSOLE, A PONTO DE DEIXÁ-LO INUTILIZADO PRA SEMPRE?
Sim, pois se foi uma falha no firmware do console, o defeito não tem solução e só outro aparelho mesmo. Essas foram as palavras do técnico da assistência da minha confiança a quem tive que recorrer.

PRA QUÊ DIABOS SERVE A PSN E TODOS OS SEUS MALDITOS UPDATES DE JOGOS E FIRMWARE (ALÉM DE ESTORVAR E ACORRENTAR O JOGADOR), SE ELES NÃO SÃO CAPAZES DE CORRIGIR UM PROBLEMA DE SOFTWARE DO QUAL A EMPRESA JÁ TEM CONHECIMENTO (É SÓ PROCURAR NA INTERNET PRA VER QUE O PROBLEMA NÃO É TÃO RARO QUANTO A SONY AFIRMA QUE É)?

Hoje pela manhã levei o console à já citada assistência técnica. Me senti bem menos frustrado, pois sei que deles não ouviria um belo SE VIRA mascarado em palavras pomposas e de falsa cordialidade.

O problema, surpreendentemente dessa vez, não ficou tímido diante do técnico da loja, como geralmente acontece comigo: há quinze dias comprei um celular novo, para substituir o que foi levado no assalto, e o fone de ouvido não funcionava direito. Apenas em um dos lados saía som. Depois testar em três fones de ouvido diferentes e de mexer em todas as configurações possíveis e imagináveis a respeito de fones e acessórios, levei o celular para trocar, convencido de que tinha comprado um aparelho com defeito. E QUAL NÃO FOI A MINHA COMPLETA CARA DE “NASCI COM O * VIRADO PRO INFERNO" QUANDO O APARELHO FUNCIONOU PERFEITAMENTE NA PRESENÇA DO VENDEDOR?. O fato é que o jogo colocado no leitor não iniciou e a famigerada mensagem apareceu novamente.

O diagnóstico será feito segunda-feira. De acordo com o técnico, há duas possibilidades:

a-      a mais cara e mais simples: o leitor do aparelho foi pro saco e terei que pagar R$350,00 pela troca da peça e limpeza do console no geral. Até aí tudo bem. Não sou rico mas, graças ao meu trabalho, posso afirmar que dinheiro não é o problema. Se eu quisesse poderia comprar um ou até mais de um aparelho novo na caixa. E a morte do leitor também não é lá nenhuma surpresa, visto que desde 2011 o aparelho já se recusava a identificar discos vez ou outra. E o fato do aparelho ter três anos de uso sem nenhuma limpeza ou manutenção deve ter contribuído para o surgimento de tal problema;

b-     a mais complicada e que não custaria nada, visto que seria o anúncio da morte do meu PS3: se o problema for no firmware do console não há como resolver e só outro novo mesmo. O estranho é que eu jurava que havia uma opção que restaurava as configurações de fábrica do aparelho nas opções de formatação. Isso, inclusive, restauraria a versão do firmware para a original, se não me engano 3.alguma coisa. Mas quando realizei a formatação completa não foi isso que aconteceu: além de ficarem muitos dados que não deviam estar lá (contas de usuário e configurações) o firmware continuou na versão 4.31, a mais recente.


CONCLUSÃO

O fato é que nem sempre dinheiro resolve tudo na vida.
Às vezes damos muito valor a bobagens que não têm valor. Mas às vezes nos damos conta de como uma coisa simples, boba e sem valor faz parte de nossas vidas e rotinas de uma forma tão arraigada que a perda de tal objeto chega a se equiparar à perda de um ente querido e não substituível por meio de R$800,00.
 O ritual que já durava três anos, de chegar do trabalho/academia, jantar e deitar na cama para jogar no Ps3, foi interrompido.

No exato momento estou de extremo mau humor. Me sinto completamente traído e abandonado pela empresa que afirma que “conhece o Brasil” mas se utiliza de artimanhas (como a de lançar “oficialmente” os consoles e jogos no país) para dar uma falsa sensação de segurança e suporte aos consumidores. Empresa essa que vira as costas ao menor sinal de problemas. Uma empresa que ainda espera apoio por parte dos consumidores nas gerações vindouras.

Enquanto o problema não se resolver (de uma forma ou de outra), o Mais Um Blog de Games vai ficar em standby, pelo simples fato de que a sua principal fonte geradora de conteúdo também está em standby.
Mais um golpe na minha  fragilizada autoestima gamer foi desferido, diminuindo ainda mais a distância antes enorme que havia entre o jogar e o abandono do hobby. 
Por enquanto me resta apenas a visão da minha vasta coleção de games (adquiridos nesses três anos por meio de muita ralação e suor) juntando poeira no canto do quarto.

Au Revoir...

2 comentários:

  1. Que sacanagem de marca maior essa, hein bixo. Senti na pele essa uruca!
    O trágico é que até nisso eu vejo semelhança entre nós, não existe um cara mais eletronicamente amaldiçoado do que eu(só Deus sabe o que passei antigamente com o 64, sonho de consumo, recém lançado, comemorei mais que o muleke do "Nintendo sixty foooooouuur", e um fdp de um primo achou de ligar sem o transformador... fora um zilhão de outras maldições que sofri com aparelhos e que me faziam acreditar ter nascido com um gene x que inibia a energia elétrica ao meu redor). E agora é que o * piscou mesmo, porque se você que mora numa grande capital está nessa, imagine o projeto de hippie aqui que saiu de Salvador pra morar no interiorzão da Chapada Diamantina! Se esse meu Ps3 der pau aqui amigo(o que não é difícil de prever, dadas as inúmeras quedas de energia causadas pelos mal intencionados cães mijadores de poste)... é caixão e vela preta! Apesar do meu console ser relativamente novo (comprei em julho), ele também é importado, e dói na alma temer que se esse fatídico dia chegar eu não terei apoio técnico da empresa cujos caprichos capitalistas eu faço questão de atender.
    Pelo menos o meu azar em Dungeons & Dragons e o seu em Vampiro não custava caro aos bolsos...
    (Ítalo)

    ResponderExcluir
  2. ...minhas condolências!
    (Ítalo)

    ResponderExcluir

SE FOR SPAM, DESISTA. NÃO PASSARÁ PELA MODERAÇÃO.
Pra comentar é preciso ser membro do blog. Culpe os spammers, não a mim...