.

.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

PRIMEIRAS IMPRESSÕES DE MASS EFFECT 3


Depois de um save de mais de cinquenta horas e muitas aventuras espaciais na pele de Shepard em Mass Effect 2, concluí a minha viagem de estreia na série. Como estou preparando um texto sobre a minha experiência total com esse jogo, não me prolongarei falando sobre o mesmo. Até porque o post é sobre o terceiro jogo da série, que foi lançado em março e gerou um bocado de polêmica por causa de seu final (que eu, obviamente, ainda não conheço).

Eu já havia experimentado o começo desse jogo através da demo, mesmo sem ter terminado o segundo na ocasião. Agora (pra ser mais exato, anteontem), depois do lacre ser rompido, iniciei aquela que promete ser a última jornada de Shepard. Bem, se não prometeram isso é bom, pois eu não quero que Mass Effect acabe nem tão cedo. E como diria a bruxa do Pica-pau: lá vamos nós!


Gráficos

Você é linda... mais que demais...











Isso parece ser um clichê dos mais utilizados, mas neste caso é a mais pura verdade: Mass Effect 3 consegue ser ainda mais bonito que o segundo. E isso não é falácia de jogador deslumbrado com o brinquedo mais novo. O terceiro jogo está ainda mais bonito do que você está acostumado a ver na série. Claro, a diferença não é tão grande (até porque os jogadores de PS3 já estavam mais que acostumados a este “novo” motor gráfico), mas tudo está mais bonito no geral e as cenas de história são deslumbrantes. Discorda? Limpe os óculos e preste atenção à tela de loading, por exemplo.
Sobre esse tópico não há muito sobre o que discorrer. Assista a vídeos, se ainda estiver em dúvida sobre a qualidade da série, e veja por si mesmo. Mas vou logo avisando que é como o pôr do sol: ao vivo é mais emocionante.


SOM

Laser que se preze tem que fazer "VROOOMMM"











Diabos! Pra quê você quer saber sobre o som do jogo em um texto de primeiras impressões? Bem, o fato é que há algo a ser dito sobre isso: achei o áudio de ME3 muito baixo. Fuçando nas opções de som, descobri que há um recurso (ativado por padrão) chamado Dynamic Range, que torna o áudio mais “realista” e menos alto. Tem uma opção pra deixar tudo como era antes, mas não testei.
Outra coisa: acredito que mudaram o dublador de Shepard, pois estou achando o tom de sua voz um pouco diferente. Nada que estrague, mas ficou essa impressão.


História

Vai aproveitando enquanto pode...











O enredo do jogo continua tão bom quanto o de seu predecessor. Claro, algo mais do que esperado. Mas o que me impressionou bastante é a forma como esse jogo consegue ser mil vezes mais interessante logo no começo que o ME2. Não há tempo para blá blá blá. O jogo começa e você já está no clima dos eventos finais de ME2.
O peso narrativo do jogo parece estar ainda melhor, como na cena do moleque no final da primeira sequência: assustador, triste e impactante (assim como deve ser um inimigo que está preparado para exterminar todos os organismos biológicos do universo), nos deixando quase que na obrigação de compartilhar do mesmo sentimento de ódio que Shepard passa a sentir pelos Reapers dali pra frente.
Não perca muito tempo lendo sobre a história de Mass Effect 3. Vá jogar e descubra por conta própria.


GAMEPLAY, JOGABILIDADE E OUTROS SINÔNIMOS DESNECESSÁRIOS

Muito bom. Atirar em ME3 é mais que bom!











Para não tornar o texto muito longo (to querendo acabar logo pra jogar. Sim, ME3 causa esse velho sentimento em você. Pode acreditar), vou resumir as minhas primeiras impressões sobre a jogabilidade desse jogo: A EQUIPE DE ME3 PARECE TER LIDO O MEU TEXTO “TENTANDO GOSTAR DE ME2” E ACATADO CADA SUGESTÃO QUE EU DEI SOBRE O JOGO.
Pretensões a parte, se você leu o texto está familiarizado com os meus queixumes sobre ME2. No terceiro, tudo parece ter sido consertado. Uma breve lista:

COMBATE: não sei se era por causa da inexperiência e estranheza de primeira viagem, mas eu odiava o combate de ME2. Mesmo tendo mudado pra melhor a minha opinião sobre ele, ainda não acho muita graça no combate daquele jogo. Mas no ME3, tudo foi consertado.

As armas têm impacto de armas “de verdade”; os poderes são dinâmicos e muito prazerosos de usar; NÃO HÁ LIMITE DE CORRIDA (os deuses astronautas devem ter atendido as minhas preces, pois só eles sabem o quão era sem sentido um cara que foi reconstruído e melhorado geneticamente não CONSEGUIR CORRER POR MALDITOS DEZ SEGUNDOS SEGUIDOS!); 

-Pode parecer um detalhe bobo, mas o cursor usado para escolher opções de diálogos não dá uma de João Bobo nesse jogo (ele fica no lugar em que você deixar, sem precisar ficar segurando naquela direção).

Estou meio que perdido, pois todas as minhas queixas se resumiam ao combate em geral. Mas vou tentar organizar as ideias: lembra quando você estava com um rifle sniper e tentava atirar sem recarregá-lo (vamos lá... admita que isso também acontecia com você, senão eu vou ficar me sentindo o maior looser achando que só eu cometia esse erro)? Aqui, quando você segura o botão de mira, Shepard PRIMEIRO RECARREGA A ARMA, para depois atirar, evitando que o “ônibus passe lotado” e você (eu...) fique com cara de bobo.

-Quando você soltava um poder com um dos ajudantes, era necessário ficar ativando a Roda de Poderes para saber se ele já havia recarregado. Agora, uma barra fica ao lado do rosto do personagem em questão. Não é simples e ao mesmo tempo brilhante?

-Durante a missão (a, pois ainda estou na primeira), os NPCs ajudantes não ficam mais duros como uma árvore apontando uma arma. Eles têm Idle Animation, com direito a suspiros e movimentação de tronco e membros.

-Uma coisa que eu não gostei muito foi a mudança no cursor: ele não mais mostra itens e objetivos de longe, te forçando a ir pessoalmente aos lugares para não perder nada de importante. O lado bom disso é que a exploração passa a ser mais incentivada dessa forma, falta essa que era um enorme fator negativo no segundo jogo.
Ainda sobre exploração de cenários (que aliás, estão lindos como sempre, com direito a “lanterninha e escuridão” no melhor estilo Dead Space), percebi uma sutil tentativa de implantar mecânicas novas de jogabilidade quanto aos cenários e obstáculos encontrados: em uma parte, somos obrigados a descer um elevador de carga para que um carro (muito parecido com aqueles tanques do filme Aliens) sirva de plataforma de pulo. Interessante... Veremos até onde isso será explorado no decorrer do jogo.

-Shepard ganha XP com tudo. Desde a leitura de um texto relevante à missão até a coleta de um reles Medigel. Isso é muito recompensador, e deixa ME ainda mais perto do RPG que ele clama ser.

-A mira está muito rápida, mesmo na configuração Slow. 
Fuçando pelas telas de upgrade, me deparei com um recurso para melhorar a precisão do personagem X com a arma Y. Estaria explicado o problema?

-Falando em upgrades, a tela de habilidades continua a mesma. Mas os elementos de RPG estão mais fortes, com caminhos (a la Diablo 2) a serem seguidos dependendo dos pontos gastos.

Bem, esses são alguns dos detalhes que “capturei” na minha primeira hora de Mass Effect 3. Com certeza, um jogão dos melhores: refinado; melhorado e todos os ados que você puder se lembrar. A prova cabal de que a Bioware dá ouvidos aos seus consumidores e tem a clara intenção de melhorar aquilo que oferece aos fãs de suas séries.
Agora me deem licença, pois eu tenho um universo para salvar da aniquilação.

Au Revoir!

30 comentários:

  1. Hehe, Mass Effect... Uma das séries mais superestimadas dessa longa geração! Já joguei shotters bem melhores...

    Shadow: Se vc tiver conexão com a PSN e bom baixar o DLC do final.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de fato, Me é muito superestimado. se não tratassem o jogo como a reinvenção da roda (que ele definitivamente não é), daria para se divertir de uma forma mais descompromissada e sem tanta expectativa.
      mas isso não diminui os méritos da série: os gráficos são incríveis; há um clima de "epopeia espacial" que consegue superar obras como jornada e guerra nas estrelas; a história é muito interessante; os personagens têm carisma pra dar e vender;

      comecei a jogar o 2 odiado a maioria dos elementos dele. mas aos poucos, quando vc vai entendendo qual é a do jogo, a coisa só melhora.
      você julga a série como sendo apenas um shooter. se olhar desse ângulo vai estar perdendo um dos melhores jogos dessa geração (partindo do pressuposto de que vc não jogou, claro).

      Excluir
  2. "se não tratassem o jogo como a reinvenção da roda(...)"

    Eu não poderia colocar de uma forma melhor!

    "os gráficos são incríveis"
    Confesso que na época que joguei ME1 eu me impressionei com os gráficos! Eu custumava comparar os gráficos de ME1 com os seriados de animação digitais como Max Stell e Beast Wars e afirmando o quão avançado as animações ficaram...
    Mas de estilo as obras não vivem meu caro! Já joguei jogos com qualidade gráfica superior, já apreciei jogos antigos mais do que ME,enfim...

    "há um clima de "epopeia espacial" que consegue superar obras como jornada e guerra nas estrelas"
    ME tem que comer muito feijão com arroz para ser uma epopeia ao nivel de classicos como vc citou! Ou sejá, a serie necessita de um reboot...


    "a história é muito interessante"
    Tem potencial,mas é arruinado pela quantidade de cliches mal executados! A narrativa principal,os Reapers, são a parte mais fraca de franquia!

    "os personagens têm carisma pra dar e vender"
    Existem personagens interessantes e irritantes na série!

    "você julga a série como sendo apenas um shooter."
    Se é para enquadrar ME em um genero, eu diria que ele é um shotter com habilidades desbloqueaveis,minigames do estilo cruze os pontos e Frogger(o sapinho que atravessa a pista),junto com um monte de dialogos com escolhas do tipo cosmeticas(ou seja,vc pode ver uma cutscene diferente no final de cada missão)!

    "se olhar desse ângulo vai estar perdendo um dos melhores jogos dessa geração"
    Existe jogos melhores que a serie ME nessa geração! Mas talvez o fato de ME ser considerado um dos pinaculos dessa geração é um indicativo da baixa qualidade da mesma(ou da falta de um gosto mais apurado)!

    Agora, se quiser ver uma epopeia espacial em forma de jogo, da uma olhada nesse video:
    http://www.youtube.com/watch?v=5HpaWcDX0f4&feature=related

    Em 1999 eu controlava naves espaciais, combatendo outras naves,corvetes, juggernauts,etc... Em 2012 eu troco tiros a pé(sendo um comandante),jogo minigames e não voo em nenhuma nave!

    ResponderExcluir
  3. que bom que você achou jogos bem melhores que ME em todos os quesitos. mas como o texto é sobre o me3, eu usei o me2 (o anterior a ele, caso não tenha ficado claro) como comparação, e não outros jogos, pois é óbvio que existem jogos mas bem feitos graficamente que ele.

    não estou comparando me como um clássico. estou dizendo que na minha opinião, ele consegue ser mais interessante que as obras citadas. jornada nas estrelas é aquele tipo de coisa que eu nunca entendi pq gostam (e sim, eu já assisti a vários episódios. não julgo sem conhecimento de causa).
    se vc tem alergia à hype, deve concordar comigo que guerra nas estrelas é o maior exemplo de "não é nem metade do que pintam sobre ele": um conto de fadas (com direito à vários clichês, como princesas indefesas e luta do bem contra o mal) espacial.

    sobre a história de me, me refiro a do 2, pois ainda não conheço a do 3.

    "Mas talvez o fato de ME ser considerado um dos pinaculos dessa geração é um indicativo da baixa qualidade da mesma(ou da falta de um gosto mais apurado)!"

    considerado pináculo por quem? por "jornalistas" noobies que jogam 3 horas de Faalout 3 e já o consideram um clássico? prefiro me ater a minha opinião. se eu achasse a série perfeita, não teria escrito o post "tentando gostar de me2".
    se a série tivesse essa baixa qualidade da qual vc fala, não veríamos esforços óbvios por parte da Bioware emm consertar as falhas de seus predecessores. exemplo: no 1 (que não joguei, portanto não posso falar muito) a coleta de recursos era feita com um carrinho na superfície dos planetas. isso parece ser sacal só de imaginar, imagina jogando, sem levar em conta que nem todos os planetas possuem superfície para um veículo andar.
    no 2 a empresa criou um sistema melhor e mais dinâmico.
    os combates foram MUITO melhorados; a animação dos personagens; alguns elementos de exploração; o sistema de RPG; ou seja: a empresa está tentando consertar o que não vinha dando certo. se ela faz isso em detrimento dos elementos de RPG (que nunca foram muitos, pois o jogo nunca pode ser classificado inteiramente como RPG) já é outra história. de que adianta vc só ter senso crítico para acusar? será que um jogo tem que ser perfeito para vc poder jogá-lo? então não deve ter terminado nenhum, pois eu acho que não existe nenhum que pode ser chamado de perfeito.

    "Em 1999 eu controlava naves espaciais, combatendo outras naves,corvetes, juggernauts,etc... Em 2012 eu troco tiros a pé(sendo um comandante),jogo minigames e não voo em nenhuma nave!"

    ao menos no ME é possível jogar em vários momentos com o Hammerhead (que voa e dispara mísseis). a Normady pode ser controlada DURANTE TODO O JOGO no galaxy map. se isso não é voar em uma nava, então não sei o que é.
    Shepard já trocava tiros a pé no primeiro jogo, então nada de se estranhar. mesmo sendo um comandante, o jogo deixa claro a todo momento que o negócio dele é o campo de batalha. isso fica mais do que claro (para quem quer entender) quando o carinha (que eu esqueci o nome) fala pra Shepard convencer os membros do conselho na luta contra os Reapers. ele diz que é um soldado, não um político. e que eu saiba, comandar não se resume a dar ordens de dentro de uma cabine da espaçonave. uma tropa sem um comandante não serve de nada. e o talento de Shepard no enredo é esse.

    realmente, vídeo de jogabilidade impressionante. mas o que tem a ver com a proposta de Mass Effect? difícil classificar algo como uma epopeia apenas por cenas de combate.

    ResponderExcluir
  4. "a coleta de recursos era feita com um carrinho na superfície dos planetas."
    Na verdade eles conseguiram piorar isso com o escaneamento de planetas no ME2! Andar com o carro tinha os seus momentos e pelo menos tinha um pouco de exploração! No ME2 tudo ficou bem mais linear.

    "os combates foram MUITO melhorados"
    Talvez até um clone de Gears of War seja melhor que o combate no primeiro,mas eu não me contento com a jogabilidade ala Gears of War! Jogabilidade simplista demais,com pouco dinamismo!

    "de que adianta vc só ter senso crítico para acusar? será que um jogo tem que ser perfeito para vc poder jogá-lo?"

    Fica calmo,não to te criticando, to criticando o jogo! E eu me diverti muito com os dois jogos da serie ME,só que ele ta longe de ser meu favorito! Minha critica também se justifica na reação exagerada da critica e da comunidade gamer!

    "ao menos no ME é possível jogar em vários momentos com o Hammerhead (que voa e dispara mísseis). a Normady pode ser controlada DURANTE TODO O JOGO no galaxy map. se isso não é voar em uma nava, então não sei o que é."

    o Hammerhead faz parte de um DLC que eu não joguei então não comento! Agora,cara, se vc acha que controlar uma navezinha num mapa se equipara a controlar um bombardeiro preste a lançar um missil nuclear para destruir uma nave de grande porte então eu não sei o que dizer! As naves da série ME são apenas cutscenes!

    "e que eu saiba, comandar não se resume a dar ordens de dentro de uma cabine da espaçonave."
    lol, então tá! Do ponto de vista do realismo isso não cola! Boa sorte tentando encontrar um general que lute junto com soldados rasos(enquanto os soldados mais rasos ainda ficam de bobeira na Normandy)! Do ponto de vista militarista, ME é uma piada.

    "realmente, vídeo de jogabilidade impressionante. mas o que tem a ver com a proposta de Mass Effect? difícil classificar algo como uma epopeia apenas por cenas de combate."

    Aquilo não era uma cena de combate e sim a jogabilidade, o Real Deal! é bem mais epico estar jogando no combate do que assistindo uma cutscene de combate!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não estou nervoso. é que do jeito que vc fala, fica difícil acreditar que vc consegue se divertir com algum jogo.

      o que eu queria dizer sobre o vídeo é que aquele jogo que vc mostrou tem uma proposta totalmente diferente da de ME. me nunca prometeu combates espaciais em tempo real.

      essa do hammerhead eu não sabia, já que ativei o dlc antes de começar a jogar. já que você conhece a série, poderia me dizer como diabos eu faço para assistir àquele digital comic da versão do PS3? li que ele passa depois que a normandy emplode, no começo, mas não vi nada disso. tem até um troféu que abre se assistir ele todo.

      Excluir
    2. Esqueci de comentar essa parte:

      "se vc tem alergia à hype, deve concordar comigo que guerra nas estrelas é o maior exemplo de "não é nem metade do que pintam sobre ele": um conto de fadas (com direito à vários clichês, como princesas indefesas e luta do bem contra o mal) espacial".

      Mass Effect cai na mesma situação de Star Wars. E uma série de fantasia espacial, com luta do bem contra o mal e tantos outros cliches de sci-fi.

      "o que eu queria dizer sobre o vídeo é que aquele jogo que vc mostrou tem uma proposta totalmente diferente da de ME. me nunca prometeu combates espaciais em tempo real."

      ME tem cutscenes de batalhas entre naves! E um daqueles momentos que agente pensa, "cara seria legal poder estar nessas batalhas"! pra mim, ME poderia ser mais ambicioso. Não faria mal nenhum ao jogo!

      "como diabos eu faço para assistir àquele digital comic da versão do PS3?"
      Youtube? rsrs, se vc não ligar pra trofeis claro! Joguei o 2 no PC!

      Excluir
  5. Fala Shadow,

    Mergulhou de cabeça no mundo de Mass Effect hein cara! O jogo é muito bom, a série é muito boa.

    Concordo com os pontos que citou, visto que alguns dos problemas que vejo neste jogo e acho um tanto que mal polido é as várias caretas bizarras e estranhas como virar de olhos, mexer a cabeça para o lado derrepente, a física corporal dos personagens (Shepard deve sofrer de lombalgia, ja viu como corre no 3?) e outras coisas, pequenas, que nada impedem a diversão. Porém os "sábios críticos de game" nunca estão felizes, visto as críticas até de como o jogo termina e mais um monte de bobeira que prefiro nem debater, pois meios de mídia e outros só querem porpurina.

    Vi toda a "análise de frases" ai encima, então: O Hammerhead achei um saco, DLC chata na hora de controlar ele, achei a física dele estranha e cai em diversos bugs (versão PS3), daquele digital comic, pelo menos na versão que joguei do PC ele ja tinha cara. E resumindo um assunto acima um tanto chato e sem conteúdo, comparar ME com uma saga como Starwars é muito, mais muito sem noção (não digo que comparou, apenas comentando as conversas) StarWars está a anos luz que o ME, ME é apenas uma série de games, um universo pequeno comparado ao StarWars, claro, os ME batem na cara de qualquer jogo da saga SW, todos os games são pobres, um ou outro é bonzinho de se jogar. Não vejo o ME como vítima de Hype, o jogo sempre foi consistente, teve seus altos e baixos na questão ação/RPG, mas sempre foi bem definido, fez seu sucesso e não explodiu pois não é todo mundo que gosta, e outra, não sei se concorda Shadow, mas olhar ME e falar que se resume a luta do bem contra o mal é muito, muito..... tosco para não desrespeitar ninguém. Cara, o jogo explica do início ao fim o porque dos Reapers e os outros inimigos.

    Terminando aqui, bem e mal, ser bom ou ruim é apenas questão de ponto de vista, o jogo trata a questão de sobrevivência, outros pontos políticos e perpetuação das espécies (visto a batalha dos Krogan contra os.... aqueles magrelos que vivem seus 30 anos), no mundo de Mass Effect todas as raças querem apenas sobreviver e desenvolver (será que já vi isso em algum lugar? "olhando para os medicamentos a serem testados nas cobaias")

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Porém os "sábios críticos de game" nunca estão felizes, visto as críticas até de como o jogo termina e mais um monte de bobeira que prefiro nem debater, pois meios de mídia e outros só querem porpurina."

      Ue, a midia só entrou na onda de criticar ME3 porque os fanboys ficaram muito revoltados! E mesmo assim eles estão chupando as bolas da EA!

      "os ME batem na cara de qualquer jogo da saga SW"

      Vc deve ter jogado todos os jogos da franquia de Star Wars não é mesmo? Jogos de estrategia, tiro em primeira pessoa, plataformas 2d, Rpgs,ação em terceira pessoa, combate espacial(inclusive um dos melhores jogos de combate espacial já feito) e até, pasmem, jogo de dança de Kinect,lol! O proprio Mass Effect(principalmente o 1º) tem em sua formula elementos do RPG KOTOR(Knights of The Old Republic)!

      http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Star_Wars_video_games (da só uma olhada na lista)

      "mas olhar ME e falar que se resume a luta do bem contra o mal é muito, muito..... tosco para não desrespeitar ninguém."

      Não, não é tosco! Humanos e raças aliadas(bonzinhos) vs Reapers,mercenarios (malzinhos)!

      " Cara, o jogo explica do início ao fim o porque dos Reapers e os outros inimigos."

      Nos 2 primeiros jogos o jogo não revela os motivos dos Reapers! Só no final do 3 jogo é que os motivos vem a tona, e de uma forma muito incompetente!

      "no mundo de Mass Effect todas as raças querem apenas sobreviver e desenvolver "

      Ainda tó pra ver uma raça que quer se matar por conta propria!

      Excluir
  6. Correção: Do Digital COmic, a versão que eu joguei era do PS3, no PS3 que joguei ja tinha a digital comic, se não me engano eu baixei ela da PSN, é uma parte antes do início do ME2.

    ResponderExcluir
  7. Breno,

    Mídia fala besteira para chamar atenção ou marmelada quando recebe algum no bolso, mídia neutra como Finalboss e outros menores falam a real do jogo, e sim cara, ME bate na cara dos SW, todos desencontrados, joguei "apenas" a partir dos do PS1, claro, não terminei nenhum por serem muito ruins, desde os do PS1 até os do momento como o Online, o de dança (ridículo) e os Unlashed da vida, muito péssimos, SW quis ganhar dinheiro com games e não criar uma lenda como os filmes e livros. Claro, obviamente não joguei todos, mas se não me chamou a atenção (e olha que acompanho todos games, desde idiotas como lolipop chainsaw até os top das listas.

    Não sei se leu todos arquivos, mas quem jogou e acompanhou de perto cada pedaço no segundo jogo ja conseguiu definir 70% do perfil dos Reapers.

    Cara, como disse, bom contra mal é pura ingenuidade e ponto de vista, humanos querem sobreviver, o Shepard é o pináculo do eixo da política mesmo ele sempre afirmando que é um soldado do combate, o que ele fala é regra, o jogo você pode dar tapa na cara dos NPC's e falar que é um Specter (algo assim), ele mobilizou as raças a se defenderem dos Reapers como fez de forma similar em suas outras aventuras anteriores de formas diferentes. E assim, sobreviver e desenvolver, nem que custe aniquilar outra espécie, mas perpetuar a minha espécie, não entrarei nos Reapers para não estragar o jogo do Shadow.

    ResponderExcluir
  8. Esqueci, um SW muito bom! Lego SW.


    Battlefront poderia ser ótimo, sempre esperei por isso, mas como disse, SW só quer ganhar grana nos games por ser uma série muito conhecida.





    Ainda prefiro Star Trek.

    ResponderExcluir
  9. calma. só citei star wars e star trek. não estava querendo comparar a "importância" das obras para o entretenimento mundial. tem gente que consegue se divertir assistindo pokemon. quem sou eu para julgar o que faz uma pessoa feliz?
    também odiei o hammerhead. o dlc da digital comic eu não consigo mais baixar. na psn ele mostra uma sacola de compra como se eu já tivesse baixado. acho que ele já vem no disco, mas por que não apareceu na minha primeira jogada?

    e sim, eu acho me uma série muito superestimada. tanto que eu comecei odiando o segundo jogo, pois achei que ia encontrar o RPG definitivo de todos os tempos, capaz de fazer chrono trigger, final fantasy 10 e fallout se encolherem de vergonha no canto da sala. o que encontrei, na verdade, foi um jogo duro e cheio de limitações. quando vc se acostuma e passa a desfrutar dele de uma forma descompromissada, me2 passa a ser viciante, quase uma obssessão (galaxy map e quests dos ajudantes).

    também gostei de lego star wars, mas ele era dificuldade zero. o bom dele era o humor e dstraváveis...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tô dando uma pausa nos games. tô muito abusado por causa de uma coisa que aconteceu com o Bioshock 2. comprei os mapas novos do multiplayer. só que não consigo jogar neles. simplesmente. acho que é necessário que todos os participantes tenham o dlc dos mapas para poder jogar. ridículo isso. a empresa cobra dez dólares por um conteúdo que vc nem consegue aproveitar. podia ter um filtro pra salas só com os mapas, ou quem tivesse tudo, ou só tivesse o básico. frustrante...

      Excluir
    2. Poxa não achei cara, e realmente não esperava que fosse melhor que os jogos que citou como exemplo, tanto que acho o FF10 um saco hehehehe, dele o ME 2 supera :D.

      Cara, acho que comentei contigo que quando comprei o ME2 eu joguei 20 min e botei ele na prateleira, achei uma bosta, depois em uma tarde de domingo, peguei e fui ver qual era a do SHepard, e como disse, a engine durona e aquelas coisas todas conseguiram me segurar, quase um vício, desde então adorei o game, o 1 não joguei, só li bastante.

      Putz cara, estas coisas de DLC multi e não ter jogar é muito comum, Operation Flashpoint Dragon Rising mesmo não tem ninguém online, só uso para jogar com amigos mesmo.

      Excluir
  10. Da pra conceder no fato que muitas interações recentes de Star Wars é lixo,mas isso não invalida meu ponto! Não é a toa que muita gente espera um jogo de Star Wars a altura da sua era de ouro!

    "Não sei se leu todos arquivos, mas quem jogou e acompanhou de perto cada pedaço no segundo jogo ja conseguiu definir 70% do perfil dos Reapers."

    Da pra elaborar nesse perfil dos Reapers sem levar em consideração ME3? Tudo o que eu sei é que eles sequestraram humanos para matar e fazer um robo do tipo Exterminador do futuro!

    "Cara, como disse, bom contra mal é pura ingenuidade e ponto de vista, humanos querem sobreviver, o Shepard é o pináculo do eixo da política mesmo ele sempre afirmando que é um soldado do combate, o que ele fala é regra"

    Cara vc ta vendo profundidade onde não existe! Pinaculo do eixo da política, o que isso quer dizer? Quer dizer que políticos do futuro vão andar armados é? é por isso que eu falo que a serie é superestimada!

    "o que ele fala é regra"

    Ta mais pra um ditador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Cara vc ta vendo profundidade onde não existe! Pinaculo do eixo da política, o que isso quer dizer? Quer dizer que políticos do futuro vão andar armados é? é por isso que eu falo que a serie é superestimada!"

      Cara, hehehe, esta foi hilária.

      Excluir
  11. em que contexto vc jogou FF10 e achou um saco? provavelmente jogou fora da época certa. FF10, na minha opinião, é um dos melhores rpgs já feitos (JRPGs, claro). pra falar de todos os motivos que me fazem eleger este jogo como o melhor da série (mesmo tendo jogado os outros 12, o 14 não conta!) só num review supremo mesmo, o qual já estou preparando. se vc não gostou é uma questão de gosto pessoal. pois ruim esse jogo passa anos-luz de ser.

    não é questão de falta de gente online não. agora mesmo eu acabei de jogar mais de uma hora de partida online. o problema é que a empresa não colocou nenhum filtro para facilitar as partidas entre jogadores que têm o dlc dos mapas. eu devia ter comprado o minerva's den, que é off-line mas pelo menos eu posso aproveitar sem depender de uma conjunção astral...

    ResponderExcluir
  12. "provavelmente jogou fora da época certa."

    Jogo bom é bom independente da epoca que se joga! Jogos de 1993 ou até mais antigos ainda me divertem tão bem quanto poderiam me divertir se eu jogasse na época(ou talvez não, caso eu fosse muito jovem e não tivesse a habilidade de curtir um jogo pela sua complexidade, ou em seus termos, "burocracia")de lançamento!

    Falando nisso, ontem eu tava jogando Donkey Kong Jr.! Jogo bem antigão onde vc tem que salvar Donkey Kong pai das garras do terrivel Mario,hehehe!

    ResponderExcluir
  13. Shadow, joguei o FF10 quando lançou, não gostei do game mais pelo personagem principal, o Tidus, aquele minigame o Blitzball e uma coisa que me afasta dos FF atualmente, a característica infantil dos RPG's Japoneses (deixando claro que não generalizo!!!!). Os gráficos sempre são bonitos, os combates em turno eu gosto, mas como disse, personagens mais infantis e outros elementos como ambientação do FF não me atraem, claro, ja joguei vários ressaltando os seguintes; o 7 e sua época real, pois hoje este jogo é aclamado como "melhor jogo FF do mundo" e antes tinha nada disso, joguei o 8 que gostei pois os personagens eram levados para uma característica mais madura e o 12 pelo seu combate mas não terminei.

    Uma coisa que falou e concordo, "jogou fora da época certa" eu acho que talvez tenha jogado. O jogo saiu em meados de 2001/2002, eu tinha 14 anos na época, não falava inglês e minha criação era basicamente "brincando na rua", situação muito diferente da de hoje em dia claro, onde criançada fica mais tempo enfiada com a cara nos games e meios de comunicação, devido ao mundo de hoje. E principalmente, naquela época eu jogava e me divertia com qualquer coisa sem olhar história, ambientação e outros, o que me agradava eu jogava, se não agradava jogava o CD pirata fora, tanto que as afirmações que fiz no meu primeiro parágrafo são de coisas que lembro daquela época, talvez jogando hoje eu mude a opinião, porém posso dizer que ficamos mais chatos atualmente, o tal olhar crítico atrapalha em apenas se divertir, hoje procuro me fazer de cego para muitos jogos que supostos críticos falam mal e a mídia detona, pois jogando sem ver a história fraca, gráfico fraco ainda podemos nos divertir, não preciso de um blockbuster para me divertir.

    Hoje, neste momento, como falamos de um jogo de 2001/2002 no caso do FF10, e falo que o jogo era um saco, pois dificilmente alguem iri pegar e jogar uma "velharia" destas atualmente, mas se estivessemos falando de algo atual, como o ME3, nunca que diria mesmo que não gostasse que é um saco de jogo, diria que não me agradou, pois temos opiniões diferentes e um eu crítico diferente, o que pode me agradar pode não lhe agradar. Seria idiota da minha parte falar, jogo X é uma merda não perca seu tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "como falamos de um jogo de 2001/2002 no caso do FF10, e falo que o jogo era um saco, pois dificilmente alguem iri pegar e jogar uma "velharia""

      Produto de entretenimento de apenas 10 anos de idade já é considerado velharia... Realmente as pessoas não dão mais atenção para as coisas como se fazia antigamente! QUALIDADE NÂO TEM IDADE! Então podemos dizer que tudo o que é bom, um dia vai ser uma merda,porque tudo vai ser melhor nu futuro! Quem precisa de história e tradição afinal?

      "mas se estivessemos falando de algo atual, como o ME3, nunca que diria mesmo que não gostasse que é um saco de jogo, diria que não me agradou, pois temos opiniões diferentes e um eu crítico diferente, o que pode me agradar pode não lhe agradar."

      Eu diria que o que está em questão não é gosto mas sim padrões! Algumas pessoas tem padrões mais elevados que outras! Pra pessoas de padrão elevado, Mass Effect é decente/mediocre como um shotter,mediocre como um RPG e como história, por diversas razões! Espero que Rodrigo não se irrite comigo, até porque, segundo a concepção dele ME3 vai ser uma merda daqui a alguns anos!

      Excluir
    2. É Breno, nossa conversa nunca vai para frente e procuro nem levar, se do que escrevi foi o que entendeu...ok

      Talvez seja porque meus "padrões" sejam baixos, ja que para você gosto não tem relação com os jogos.



      Então Shadow, segue o post anterior que escrevi sobre minha relação e o FF10.

      Excluir
    3. A é, na parte "velharia" eu fui irônico, por isso da acentuação em destacar a palavra. Mas, ok.

      Excluir
  14. "Jogo bom é bom independente da epoca que se joga!"

    eu sei disso meu caro. não ponha palavras em meu teclado rsrsrs. o que queria dizer era que talvez ele tenha jogado o jogo fora do contexto. o FF10, por exemplo, foi um dos primeiros jogos de PS2 que eu joguei. me lembro como eu fiquei impressionado com a transição em tempo real de cena para batalha logo no começo, e de como eu ficava perdido sem saber se estava vendo uma cena em cg ou gráfico em tempo real. jogos em 3d (apesar de que esse não é um 3d total) não costumam envelhecer bem, apesar de que eu joguei o FF10 até o final do ciclo de vida do PS2 e continuava impressionado com os gráficos de um jogo de 2002 que dava banho em muito rebentos de 2009.

    Rodrigo, não gostar de Tidus é algo natural. eu amo FF10, mas nunca gostei desse personagem. a questão é que os personagens daquele jogo são tão bem construídos que mesmo o pentelho metido a surfistinha do Tidus acaba cativando e tendo o seu espaço. e sim, vc jogou na época errada sim. com 14 anos é impossível ter a maturidade necessária para entender o enredo daquele jogo (sem ofensa), principalmente sem dominar inglês. e o blitzball eu odiei até a quinta vez, quando decidi me dedicar e dominar o jogo. dos minigames da série FF, com certeza ele é o mais fraco.

    sobre um jogo ter idade, estou jogando o FF tactics do PSP. é engraçado como uma velharia de quase vinte anos consegue dar um banho em maravilhas da alta definição como, deixe-me ver... todos os jogos que eu tenho de PS3. não é saudosismo não. os jogos antigos eram melhores pois eram feitos com mais dedicação e idealismo. não que seja regra. tb exitem jogos muito bem acabados (BIoshock, Fallout 3, batman asylum) hoje em dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado, refrescou minha memória, FF tatics, considero para mim o melhor, foi o que mais gostei, tenho uma versão alterada no Ipad, e cara, ele é muito bom, pena que não deram continuidade. Lembro que depois dele joguei dois outros da época no mesmo estilo mas não eram tão bons.

      Dos minigames gostava do jogo de Card's do 8, talvez porque gosto do Magic The Gathering.

      Excluir
    2. os outros ff tactics são dispensáveis, não chegando nem perto da qualidade do original (o único e melhor de todos). uma coisa que eu acho incrível nesse jogo é como ele é difícil. eu joguei ele à exaustão lá pra meados de 2001, 2002. joguei mais quando comprei um Psone. e estou jogando agora no PSP. me descuidei em algumas batalhas e já tomei três belos game over na cara. isso de um jogo que conheço de cor e salteado.

      o Triple Triad, minigame de cartas do 8 é o melhor mesmo. tentaram fazer uma versão dele no FF9 mas foi um desastre. quase não joguei esse. só joguei o bastante pra passar de uma parte que era obrigado pela história. o pior é que os outros FF subsequentes nem tentaram emplacar outro minigame de sucesso. aquele de caçar monstros no 12 é divertidíssimo, mas não pode ser considerado bem um minigame. na bosta do 13 nem isso, pois a caça de monstros é um saco. eta joguinho ruim esse 13.

      Excluir
  15. Realmente, o jogo é bem difícil mesmo, no começo eu nem sabia jogar direito, apanhei muito, depois que aprendi a liberar as outras classes as coisas mudaram, consegui progredir com certa normalidade.

    Poderiam fazer uma versão nova dele, seria bem legal, ainda mais nas novas engines de hoje.

    Nunca parei para jogar o 13, sempre fiquei de boca aberta com os CG's, mas não joguei, só ouvi falarem que ele é ruim.....porém levou nota 10.

    ResponderExcluir
  16. yasumi matsuno devia ter feito um outro ff tactics baseado em (claro) Ivalice enquanto ainda estava na Square-Enix. agora é meio tarde. não tá saindo ff bom nem da série principal, que dirá spin-off...

    acredite, FF13 é um dos piores RPGs já feitos por essa empresa. levou nota 10 por falsos fãs da série, sendo que alguns desses levaram grana por fora pra falar bem dele. as cenas realmente são lindas. alías, graficamente o jogo é impecável. pena que beleza não põe mesa.
    joguei esse jogo numa primeira vez e odiei. joguei de novo mais tarde pra dar uma segunda chance e minha opinião não recuou um centrímetro. lixo, lixo, lixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo ao mundo do jornalismo de jogos,onde apresentações são o suficiente para vender um jogo! Bem que vc poderia especificar o que te irritou tanto em FF13! Vamos lá, não seja um hater hehe...

      Excluir
    2. esse é o maior exemplo que eu conheço de jogo que se vendeu pelo nome famoso da franquia. mas também, até o FF12 a série tinha uma qualidade inegável. ninguém esperava que a empresa ia cagar com o nome ff desse jeito.
      sei q vc estava brincando, mas não sou hater de ff. muito pelo contrário, até pouquíssimo tempo atrás eu era um fã assíduo da franquia. não vou citar os motivos agora pq estou escrevendo um artigo de tributo à série com todos os ffs que eu joguei, então colocarei lenha na fogueira na hora e lugar certos.

      Excluir

SE FOR SPAM, DESISTA. NÃO PASSARÁ PELA MODERAÇÃO.
Pra comentar é preciso ser membro do blog. Culpe os spammers, não a mim...

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.